Páginas

20 fevereiro 2017

Sporting 1 - 0 Rio Ave - A 1ª volta já não é um acaso!

  Perante uma época atípica no que toca ao acompanhamento dos jogos do Rio Ave, mais uma vez não tive oportunidade de seguir o encontro da nossa equipa principal.
  Mas esta questão permite aguçar outras perspectivas. Não acompanhar o jogo faz com que se tenha uma grande sede de informação e assim acabamos a tentar ver todas as imagens e acompanhar todos os textos. 
  Como de costume e de forma saudável encontramos discursos para tudo. Os que gostaram muito, os que não ficaram impressionados e até os que gostaram menos. Ainda assim há questões unânimes:
O Rio Ave entrou de forma estrondosa em Alvalade e fez tremer todos os Sportinguistas.
Nos primeiros 20 minutos o Rio Ave podia ter vencido o encontro e infringido mais uma derrota pesada ao Sporting.
Rui Patrício foi o salvador da pátria leonina e Adamastor da Caravela vialcondense.
A 1ª parte foi superior à segunda.
A justiça do resultado só se sustenta na diferente capacidade de concretizar as oportunidades de Golo.

  Depois aparecem outras opiniões.
O Sportting (mais uma vez) é que jogou mal.
O Rio Ave só foi superior 20 minutos, depois o jogo foi dividido.
O Rio Ave só jogou o que o Sporting deixou e a falta de oportunidades na 2ª parte é prova disso.
O GR está lá para defender e os avançados para marcar.
Para quê que se quer tanta posse de bola?
O Rio Ave voltou a jogar meio jogo.

  Das imagens que eu vi encontro efectivamente um Rio Ave em grande. Entramos extraordinariamente bem, mas Patrício e uma outra precipitação evitaram os nossos Golos. 
  Não reagimos mal ao Golo sofrido, mas em vez disso o Sporting reagiu bastante bem, teve a capacidade de mudar o chip e de se colocar numa posição submissa (provavelmente na tentativa de explorar o contra-ataque, onde o Rio Ave tem demonstrado mais dificuldade).
  Do Golo sofrido fica a sensação que poderá haver falta, tal como o nosso treinador defendeu, e certamente que contactos menores que aquele foram assinalados como falta. Há ainda outro lance na área do Sporting, sobre Jaime Pinto que merece uma palavra. Não me parece existir falta, trata-se de uma bola dividida e de um choque banal de dois atletas, muito perto da falta é certo (bastava Jaime aparecer 1 segundo mais rápido). Ainda assim, mais uma vez: certamente que durante o jogo, e no centro do terreno, esses lances foram apitados. É a dificuldade do critério.
  Para o lado do Rio Ave fica a boa exibição, a superioridade dos números e do futebol positivo, A vontade de vencer e a capacidade de lutar até ao fim pelo resultado chegando mesmo ao Golo (bem invalidado)

  Homens do Jogo: Gil Dias, Krovinovic, Nelson Monete e Rúben Ribeiro

É o primeiro prémio a quatro, mas não vendo o jogo, olhando às imagens e aos números estes foram os destaques. Os criativos pela capacidade de criar, participar e finalizar nos momentos de decisão. Nos ataques, nos remates, nas vezes que foram travados em falta. Nelson pela surpresa de entrar para lateral direito e defender muito bem a posição. Ainda conseguiu ser o jogador com mais cruzamentos.

Sem comentários: