Páginas

12 dezembro 2019

Futsal: Rio Ave 6 x 1 Freixieiro - Só dependemos de nós

  Completada a 1.ª volta podemos dizer com segurança que só dependemos de nós.
  Ora vejamos:
  O Rio Ave é segundo com menos 2 pontos que o 1.º lugar - ganhando os jogos todos vamos à fase de subida.
  Mas... de qualquer das formas
  Na Série A o segundo tem 17 pontos
  Na Série C o segundo tem 17 pontos
  Na Série D o segundo tem 22 pontos
  Na Série E o segundo tem 20 pontos
  Na Série F o segundo tem 21 pontos
  Logo, com 22 pontos só dependemos de nós para bater um dos segundos classificados das séries A e C. Podemos até ter empates e/ou derrotas.

  De qualquer das formas esta reflexão não procura o desleixo, pois tudo muda muito rápido, mas sim a serenidade.

  Que me desculpe o Freixieiro, mas este último jogo pareceu-me acessível. Também me pareceu que a equipa sentiu isso (alguns jogadores que não jogaram, ou jogaram pouco, contra o Caxinas jogaram desta vez).
  Não chegamos cedo ao primeiro Golo, mas o 6-1 foi construído com muita tranquilidade na segunda parte.
  Marcamos apenas ao minuto 16 da primeira parte e levamos o 1 x 0 para o descanso.
  No segundo tempo aos minutos 23, 28, 31, 34 construímos o 5 x 0. O Freixieiro marcou o seu golo ao minuto 38 e no minuto 40 ainda foi possível acrescentar um golo ao marcador.
  
  Marcaram João Miguel (2), Lincon (2), Miguel Ângelo e Zé Paulo, mas mais uma vez destaco Claudio Carvalho, o guarda redes que aparece nos momentos certos a fechar a nossa baliza. Provavelmente teríamos ganho na mesma, mas o resultado podia ser bem mais apertado.

  Há ainda que reportar o caso de Zé Paulo, que depois de protestos com algum fundamento foi amarelado devido aos mesmos. Nesse instante iniciou-se uma troca de palavras desagradável dom árbitro, tendo este uma postura muito pouco aceitável, que levou Zé Paulo à fúria. Essa fúria levou o jogador a protestar com os restantes árbitros a postura do colega e deixou-o perto da expulsão.
  Tal como Taremi jogador que vê amarelo por protestos não pode ir para a rua no mesmo momento, principalmente numa modalidade com as regras de substituição do futsal. Foi muito complicado tirar o jogador do campo (que ficou arrumado quase toda a restante partida - aos 6 min da 2.ª parte), mas as coisas acabaram bem. O treinador deu o voto de confiança, o jogador cumpriu e até marcou.
  O jogo estava bem encaminhado 2 x 0, acessível e arriscamos um castigo, que podia ser sério, comprometendo jornadas futuras.
  
  Nota:
  - para a presença, no Freixieiro, de Israel e Vasco Lamarão que já vestiram (e com muito brio) a nossa camisola. Nota ainda para André Bessa e Ruben Santos que passaram pela formação do Rio Ave. João Mendes também passou pela formação no futebol.


Rio Ave 1 x 0 Gil Vicente – Um balão com pouco ar - os números


fonte: whoscored.com

11 dezembro 2019

Rio Ave 1 x 0 Gil Vicente – Um balão com pouco ar

  Nota prévia:
  Antes de se realizar qualquer crítica a este jogo importa ter em conta que este Gil Vicente chegou ao dia do jogo com mais um ponto que o Rio Ave e com vitórias sobre Porto e Sporting (dá ideia de que toda a gente ganha ao Sporting, mas eles têm mais 5 pontos) e empatou com Boavista e Braga. Até tinham menos uma derrota que nós.
  Logo, importa perceber que se trata de uma equipa difícil e muito chata para equipas com mais responsabilidade. A sua solidez defensiva obriga a muito trabalho “invisível” e a muita concentração nos posicionamentos sob pena de pagarmos com Golos sofridos no contra-ataque.
fonte: whoscored.com
  A equipa entrou muito bem na partida. A certa altura as oportunidades claras davam um 4-1 sem grandes espinhas, mas voltamos a pecar na finalização e alguns lances foram resolvidos na iminência do sucesso.
  O problema é que o ar se esvaziou com alguma rapidez. Nada de muito grave, mas é a tal intensidade que não aparece como eu gostaria. Os gilistas também foram abeis (ou seria real) em quebrar o ritmo dos acontecimentos, de tal forma que até o árbitro considerou como útil o tempo de assistência de alguns jogadores (na 1.ª parte).
  A equipa apareceu com bom dinamismo. Mané e Diego são duas formiguinhas muito trabalhadoras e capazes de desmontar defesas contrárias, com a bola no pé ou com os seus movimentos de rutura e visão de jogo.
  O meio campo voltou a parecer-me curto. Mas aceito que seja apenas uma questão de estilo - Eu gosto de um meio campo com mais presença. O meio campo parece-me curto, porque também me parece que o ataque é mal servido (tendo em conta que temos dois avançados). Eu acredito que com dois avançados temos que estar mais perto da baliza para retirar todo o proveito destes. Ainda para mais quando temos dois avançados algo pesados que, apesar de móveis, acabam por chegar muito cansados há zona de decisão.
  O 4-4-2 apareceu nos últimos jogos por falta de jogadores e suplentes para todas as posições (fruto das lesões)? É uma opção do mister e vai melhorar? Tenho essa dúvida e ainda nenhum jornalista colocou a questão.
  Na defesa continua-se a verificar uma grande assimetria no comportamento dos dois laterais. Ordens, capacidade ou confiança?

  Felizmente chegamos ao Golo da vitória (infelizmente de penalti), mas criamos oportunidades suficientes para uma partida mais calma e segura.

  Notas finais:
  - Para o descontrolo emocional de Toni e Taremi que nos custam muito caro. Ainda assim concordo plenamente com Carlos Carvalhal e colocando as coisas preto no branco: Gostava de os ver com coragem para fazer isso contra Porto, Benfica ou Sporting. (espero que o Rio Ave apele e consiga minimizar o prejuízo).
  - Penalti de VAR não assinalado sobre Tarantini, segundos antes dos protestos de Taremi. Empurrão nas costas quando o jogador está no ar é penalti. Moralmente é ainda mais quando esse jogador está no enfiamento da jogada pronto a cabecear.

06 dezembro 2019

F. Augusto x Tarantini x Jambor x Vitó

  Numa altura em que se questiona o mercado nesta zona do campo e em que se lança Vitó para a sua primeira grande oportunidade parece-me interessante dissecar este quarteto.
  F. Augusto parece ser o "6" (também não o é bem) que nenhum outro parece poder ser. Isso garante-lhe um lugar, mas até poderia render mais noutras funções.
  São quatro 8's de qualidade interessante, mas com características diferentes. F. Augusto e Tarantini são mais "área a área", FA o melhor com bola e Tarantini o melhor sem bola.
  Jambor é um 8 clássico que gosta de receber e passar e talvez seja o que consegue lançar melhor o jogo (tem passe mais longo). É 8 que encara melhor o jogo de frente e gosta de o fazer. É melhor que Tarantini com bola e pior sem ela.
  Vitó é o 8 mais próximo do 10. É o que lê melhor o jogo, com bola, no último terço e tem uma meia distância muito interessante (um jogador semelhante a João Novais). Não me atrevo a alongar mais, pois falta testar num nível superior. Será desta?

  Num meio campo a três, com um "6" em vez de um "10", poderíamos ter F. Augusto, Tarantini e Vitó. Aqui teríamos a combinação de mais valências.
  Se quisermos privilegiar a posse trocamos Jambor por Tarantini, mas os laterais terão que ter mais cuidados.
  Se jogarmos com um "10", e mata-me ver jogadores como Diego ou Krovinovic no banco, talvez tenhamos que abedicar de Vitó. Mas talvez seja Vitó o único jogador capaz de substituir Tarantini, sem bola.

  E será que Vitó está à altura. Vejamos os seus números do último encontro e as médias dos restantes (o Whoscored.com só possui dados da Liga).


   Nota: F. Augusto, Jambor e Vitó - 3 esquerdinos.

05 dezembro 2019

Futsal: Rio Ave 2 x 3 NunÁlveres - Fora da Taça de Portugal ou da Palhaçada?

   Perdemos no prolongamento e estamos fora da palhaçada que é a Taça de Portugal de Futsal.
  Sabiam que nesta competição 25 equipas que perderam na 1.ª eliminatória foram repescados para a 2.ª eliminatória? Houve 38 jogos nessa ronda.
  São Pedro de Fins, Póvoa Futsal, Alter do Chão, SC Cabeçudense, Sassoeiros, Arsenal da Maia, Freixieiro, Sabugal, Retaxo, Casa do Povo Vilarandelo, Azagães, Amigos Abeira Douro, Monfortense, Caxinas Poça Barca, Carrazedo de Montenegro, Estoril Praia, Andebol S. Vicentense, Ferragudense, MTBA, Pioneiros de Bragança, Os Vinhais, Instrução Alhadense, Arnal, Cova da Piedade e CD Nacional

  Dor de cotovelo? Com certeza e com razão. Porquê que não têm todos uma segunda oportunidade? Ou porquê que há quem as tenha. Não pesquisei o motivo.

  De qualquer das formas estamos fora desta competição. A meu ver não tinha nada de prioritário, mas era uma oportunidade para fazermos uma graçinha e talvez para experimentar equipas mais cotadas, favorecendo o nosso desenvolvimento.
Fonte:.rioavefc.pt
  Acreditei que poderíamos passar à próxima fase. Não foi possível. Não tive oportunidade acompanhar o jogo, por isso não me vou estender em grandes considerações.
  Ficam para registo os Golos de Zé Paulo e Dani.
  Fica mais um aviso para a árdua tarefa que temos pela frente - subida de divisão. Dos 5/6 apurados na zona norte só 1 atingirá esse objectivo. Se quisermos ser mais absolutos talvez haja a necessidade de ir ao mercado. Aliás, é quase certo que da 1.ª para a 2.ª fase o mercado vai agitar e vai haver equipas reforçadas.

03 dezembro 2019

Braga 2 x 0 Rio Ave - Hummmm... apetecia-me algo

  Confesso-me insatisfeito. Esperava mais. Ainda por cima batemos o Sporting (mas afinal muitos o batem, até o Alverca).
  Com esta média (pode e vai ser melhorada) estamos a caminho dos 21,25 pontos no final da primeira volta. Eu esperava mais.
  Não estou satisfeito com o nosso jogar actual. Não conseguimos definir um padrão. Ora jogamos muito bem, ora jogamos muito mal.

  Em Braga tivemos mais do mesmo. Na primeira parte não existimos e na segunda fizemos quase o suficiente para justificar a vitória ("só" faltou marcar).
  O que se passa? Quando somos capazes do melhor e do pior fica muito mais difícil entender os porquês.

  Não fico satisfeito quando vejo o Rio Ave encostado às cordas num campo impraticável, contra uma equipa "cansada".
  Não fico satisfeito quando vejo o Rio Ave falhar 3 oportunidades de Golo flagrantes.
  Não fico satisfeito quando se recusam a marcar um penalti a favor do Rio Ave em Braga (vale a pena ir lá jogar
a final a quatro da Taça da Liga?).
  Mas...
  Fico entusiasmado quando vejo um slalom de Mané.
  Fico entusiasmado quando vejo um recepção do Iran Men.
  Fico entusiasmado quando vejo Bruno Moreira esfalfar-se em campo e a sair com a seguinte premissa "se lhe tapar a boca rebenta".

  Queria mais de uma equipa que já provou, nesta época, ser capaz de mais. Falta-nos consistência.
  Também queria ver mais de Carlos Carvalhal. Estarei certamente a ser injusto, porque talvez não dê para tirar mais neste contexto. Mas eu confesso que acreditava num Toque de Midas.
  Fico com uma grande pergunta na cabeça e que infelizmente não lhe a posso colocar: O porquê desta irregularidade e o porquê desta falta de intensidade/ritmo. Eu acreditava que o Toque de Midas de Carlos Carvalhal seria, pela sua experiência num campeonato em que se joga dia sim dia sim, trazer mais intensidade a uma equipa que já jogava bom futebol.
  Vejo muitas coisas boas nesta equipa (no seu melhor), mas ainda não vejo consistência e/com intensidade.
 
fonte: whoscored.com
  Para os 27 pontos (metade dos 54 provavelmente europeus) faltam 12. Quatro vitórias em 5 jornadas contra Gil Vicente (C), Portimonense (F), Marítimo (C), Santa Clara (F) e Boavista (C). No papel não é inacessível ao melhor Rio Ave.

  Vamos a isso Rio Ave?

29 novembro 2019

Uma Taça cheia de Vento e Chuva, o Rio Ave 1 x 0 Alverca

  Passou mais uma eliminatória da Taça de Portugal e tal como nas últimas jornadas, não vejo forma de me inspirar com esta equipa. Não estamos a jogar mal, mas não cheira a Top 5 - Já sei mister, já sei... é difícil.

  Eu concordo que seja difícil, até porque me parece que nos falta um ou dois jogadores com outra qualidade para entrarmos verdadeiramente na luta. E o investimento alheio foi muito, muito elevado.

  E nestes jogos da Taça tem sido deprimente ver a nossa equipa a jogar. Depois do Condeixa, agora o Alverca. No 1.º foi o sintético? A expulsão? Agora foi o vento? A chuva? O Sporting eliminou o Alverca é certo. Mas então este Alverca podia estar a jogar a Liga Europa? O futebol português está tão mau que não há diferenças entre uma equipa europeia e uma equipa do 3.º escalão?
   Eu acho que apesar de tudo há! E tínhamos obrigação de o vincar. Nem é a qualidade do adversário que está em causa. É o facto de termos criado 3 oportunidades de Golo.

  As escolhas de Carvalhal foram suficientes - 93 JOGOS EUROPEUS - Figueiras (43), Monte (2), Toni (1), Matheus (2), Filipe Augusto (11), Tarantini (13), Bruno Moreira (2), Mané (17) e Gabrielzinho (2). Se a estes somamos as selecções nos escalões principais e formação, o número deve duplicar - Taremi (45 na seleção A).
  "Coitadinho" do Alverca.

  Também gostei do banco de Carvalhal. Com ou sem lesões levou um banco capaz de responsabilizar, pelo menos, os seus titulares. No banco tinha os miúdos, como se quer numa situação destas.
  Somos melhores e temos que ser responsáveis por isso.
  Uma nota para Vitó e Leandro que entraram bem na partida. Sem deslumbrar também não comprometeram e isso é bom - quer dizer que não são piores.
  Vitó pareceu menos influente, mas a meu ver o meio campo foi um problema do 1º ao último segundo.
  Gostei de ver Leandro, melhor do que em alguns jogos da Liga Revelação, pareceu muito seguro e determinado. A oportunidade era para agarrar e fez esquecer Gabrielzinho. Penso que foi a substituição com melhor efeito. Segurou a bola e recuperou outras. Deu linhas de passe e mostrou-se ao jogo. Eu gostei.

  O próximo jogo, frente ao Braga, vai ser bem duro. O Braga está ao nível das melhores equipas, com quem tivemos dificuldades. Ainda assim, contra uma equipa que jogue mais aberto, poderemos acabar a "jogar melhor".

  Nota: Saiu-nos o Marinhense. Mas querem lá ver que...

28 novembro 2019

Futsal: Amigos Abeira Douro 2 x 3 Rio Ave - Vem aí a Taça!

  Mais um jogo com estes "Amigos" e mais uma vitória. Novamente escassa e pela margem mínima (tendo em conta que é 8.º nesta série). Mas é mesmo assim esta é uma equipa que normalmente vende muito cara a derrota (6 derrotas - 5 pela margem mínima).

  Neste jogo começaram os melhores, mas foi o banco a fazer a diferença no marcador. Miguel Ângelo, João Rodrigues e Dani fizeram o gosto ao pé.
  O Rio Ave viu-se em desvantagem ao minuto 6, mas seguiu para o intervalo em vantagem depois dos jogos aos minutos 14 e 17.
  Na segunda parte voltamos a sofrer primeiro, logo no minuto 21, mas voltamos à vantagem no minuto 29.
  Não tendo visto o jogo ficava mais tranquilo com uma vitória mais folgada, indicando um domínio mais inequívoco.

  A verdade é que este campeonato, tal como se anunciava é muito intenso e disputado. As diferenças são ténues e os jogos são ganhos no detalhe.

  No próximo sábado, teremos um teste muito interessante pela frente. Vamos jogar com a formação do Nun'Álveres Futsal. Esta equipa ocupa posição homologa à nossa na Série A. Esta formação tem 17 pontos, tal como o 1.º Classificado (o Rio Ave tem 19, o Caxinas 21).
  Será uma oportunidade de medirmos forças contra um possível adversário na luta pela subida de divisão - A série de promoção ao primeiro cruza as séries A, B e C, podendo cruzar com a equipa dos Açores.

  Resta promover o Vídeo com o Golos do Rio Ave, que regressa depois da pausa "frente" ao Caxinas.


 

19 novembro 2019

Futsal: Rio Ave 3 x 2 Caxinas - Grande Jogo, ganharam os guerreiros

  Fomos melhores.
fonte: página oficial do Rio Ave no Facebook
    Estes homens foram verdadeiros guerreiros neste jogo e foram premiados com os 3 pontos. Na verdade ganhou a equipa que quis mais. Também me pareceu que temos melhor equipa, melhores executantes pelo menos.

  No início da partida fiquei surpreendido com a intensidade aplicada pelo adversário. Pensei para mim: "isto vai ser complicado" e "pois... realmente parece haver um motivo para estarem em primeiro".
  Em relação ao outro jogo que vi, frente ao Póvoa, notei mais intensidade e menos espaço. Parecia um jogo mais perto da primeira divisão (mas ainda falta manter a qualidade técnico-táctica nessa intensidade).

  Marcamos primeiro, após um bom lance de entendimento, mas com o auxílio de um autogolo. Ainda assim era "só" encostar. Estávamos por cima.
  Depois de colocarmos uma bola no ferro (penso não estar equivocado) o Caxinas chegou ao Golo, de bola parada. Foi um remate cego para o nosso GR, que só viu a bola a um metro da cara.
  O intervalo chegou, não sem antes termos algumas polémicas com a arbitragem devido ao pouco critério.

  Na segunda parte sofremos um golpe duro com o golo adversário, mas felizmente ainda havia tempo.
  O Caxinas deixou de jogar tão alto mas mesmo assim ainda colocou uma bola na barra. Podia ter "matado" a partida.
  Continuaram os problemas com a arbitragem. O GR adversário foi somando lesões atrás de lesões até deixar a partida. O mister Raul também se incumbiu de deitar achas à fogueira. Felizmente saiu queimado.
  O Caxinas eclipsou-se nos últimos 10 minutos e o Rio Ave foi atrás do prejuízo. Num contra golpe, conseguimos a superioridade numérica e fizemos o empate. Zé Paulo.
   Um erro do árbitro deu uma expulsão por engano. Mais achas na fogueira, mas, curiosamente, o jogador viria a ser expulso por jogar a bola com a mão. Houve 3 ou 4 lances desses e 3 deram cartão. Pareceu haver coerência (talvez exagerado, mas não conheço ao pormenor as leis de jogo). Mesmo que não seja uma regra evidente, foi o terceiro amarelo - já devia ter percebido a ideia.

  O momento do jogo - 4 para 3 em campo. Era altura de marcar. O mister Crud surpreende e tira João Miguel, um dos homem golo. Eu já me preparava para ficar tão aborrecido como o atleta, mas quem sabe sabe e levou a melhor. Lincon num grande movimento, após um passe perfeito de Pedro Silva, fez o 3x2.

  O Caxinas foi voltando paulatinamente ao jogo, mas já foi tarde. Fomos melhores.

  Nota para o GR Cláudio Carvalho: Também lhe devemos os 3 pontos. Uma muralha.

  Momentos a rever: Pareceu-me que já evoluímos, mas ainda não estamos a criar muito perigo nas bolas paradas. Também gostava de ter visto mais velocidade de circulação de bola no 4x3 (também com o Póvoa foi mau), mas quem sabe sabe - marcamos nas duas situações.

 PS: Afinal o Mister Raul não é o treinador. Parece que nenhum dos outros elementos de cinzento que se colocavam é o treinador. O treinador era o Sr. de escuro? De certeza? Acho que não... pelo menos nenhuma vez o arbitro agiu, nem quando havia quatro "treinadores" a instruir 4 atletas, enquanto o GR era assistido.
  Não sei se é assim que se ganham ou perdem jogos, provavelmente não, mas a regra deve ter uma razão de ser...

14 novembro 2019

Cabeçudence 3 x 4 Rio Ave - Próximo se faz favor... (GCR Nun´Álvares)

  O Rio Ave foi a Famalicão, a casa do clube da Interdestrital Viana/Braga e acabou por vencer com 2 Golos de Zé Paulo e 1 Golo de Pedro Silva, aos quais se somou um auto-golo.
  
  Aparentemente o mister terá rodado na baliza, uma vez que começou com Tasaka (penso que foi o 2.º jogo a titular, também a contar para a Taça de Portugal).

  Na falta de melhor, deixo dois comentário que se podem encontrar na página do Facebook da SC Cabeçudense:
"Um resultado ingrato para aquilo que demonstramos dentro de campo. Fomos enormes. 👌 Parabéns a todos. Que venha o próximo jogo 💪"

"Grande jogo, muita qualidade parabéns 👍👌"

  Terá sido um jogo interessante, principalmente para os da casa que, aparentemente ficaram agradados e ao olhar para o resultado devem ter alimentado a esperança de nos bater o pé.

  Porque a secção merece toda a divulgação e atenção possível, fica o vídeo dos Golos deste jogo.


13 novembro 2019

Rio Ave 1 x 0 Vitória FC (Setúbal) - Correu bem e Grande Mané! - os números

 
fonte: whoscored.com

Rio Ave 1 x 0 Vitória FC (Setúbal) - Correu bem e Grande Mané!

  Mais do mesmo?
  Valeu mais o resultado do que a exibição... portanto sim.
  Começamos bem, dominantes e intensos, mas rapidamente esbarramos na muralha sadina. Infelizmente também as duas lesões do adversário quebraram o jogo, que teve 5 minutos de descontos na primeira parte.
   É certo que o jogo já estava mais dividido na 1.ª parte, mas o Golo que marcamos também contribuiu para a quebra da intensidade.
   A chave do jogo foi efetivamente Carlos Mané.
  Não fiquei muito entusiasmado no dia da sua apresentação, mas a verdade é que já me convenceu. Mané é o único avançado/extremo capaz de desequilibrar no 1 para 1 em espaços curtos. Mané terá um dos dribles mais curtos do plantel.
  Se repararmos no seu Golo, vemos o contrário do que acabei de enunciar, mas vemos aparecer uma qualidade ainda mais interessante. Mané controla a bola. Tenho muitas dúvidas que aquele 1.º toque fosse o pensado (talvez até tenha sido recurso), mas logo percebeu onde a bola iria cair, por isso arrancou (de longe o 1.º jogador a reagir), chegou primeiro e com um toque subtil e suficiente bateu o GR.
  Mané recuperou/ajudou a recuperar muitas bolas, transportou jogo e ultrapassou adversários. E também assiste com muita qualidade.
  Mané será um jogador essencial nestes encontros contra equipas mais fechadas.

  Também Aderlan Santos esteve muito bem e segura a nossa defesa.
  Bruno Moreira também esteve muito sólido nos momentos defensivos - pergunto-me se isso não lhe amputa a frescura necessária na hora de finalizar.
  Nuno Santos está a atravessar um momento estranho e fica difícil comentar as suas exibições. Não joga mal, mas parece não ter tanta influência. Há que considerar o adversário, mas onde está o Nuno Santos do encontro frente à Oliveirense?
  Filipe Augusto borrou a pintura de mais um jogo onde este quase irrepreensível no seu meio campo. Eu acho que os penaltis não se marcam assim, mas...
  O Iran Man também está na sombra do que já foi, mas é visível que não está em condições físicas. Mesmo aleijado, se o jogo for de pé para pé, vê-se que á muita qualidade técnica por ali.
  Gabrielzinho deixa-me a perguntar: Não conseguimos tirar da formação um jogador destes por época? Não? Então a nossa formação está muito mal... mas eu não concordo.

  Um ponto especial para Diogo Figueiras. Posso estar inquinado pelas outras exibições suas, mas acho que não jogou mal. É, por isso, certo que este foi o seu melhor jogo. Acho que começou bem, mas acabou o jogo a acumular muitos erros. Perdeu algumas bolas sem necessidade. Provavelmente será o choque entre a falta de ritmo e a vontade de querer jogar ao nível que lhe valeu 3 Liga Europa ao serviço do Sevilha e um título Grego com o Olimpiakos. E o número de jogos disputados nesses clubes é significativamente alto!
  Mas eu também acho que se justificava testar um Costinha que temos pelo plantel (já sei que agora está lesionado, mas não esteve e...). Nem que seja para tirar dúvidas.

08 novembro 2019

Antevisão Vitória FC (Setúbal)


Nesta publicação só quero chamar a atenção para o encontro que se segue.

Mais uma vamos encontrar um vitória na antítese do que é o nosso futebol. Infelizmente quase de certeza que vamos ter mais do mesmo no que toca à não vontade de jogar.

Mas se recentemente falei das Bolas Mal Paradas, não foi por acaso. Neste próximo jogo vamos atingir provavelmente o apogeu desta importância (gostava de estar enganada).
O Vitória, a equipa do pontinho, principalmente a jogar fora, vai apostar naquela estratégia do "fechadinho, fechadinho e se der... Golo". Contra-ataque, ganhar faltinhas e cantinhos para ver se a coisa se dá. Se sofrerem um Golo, vão entrar em mutação e vão parecer outra equipa (mais do mesmos).

Atentemos ao números
Rio Ave     12 Pontos, 14 Golos marcados, 13 Golos sofridos;
Vitória FC 12 Pontos,    3 Golos marcados,  6 Golos sofridos;
O vitória com apenas 3 Golos fez 12 pontos - 2 vitórias e 6 empates.

Contra uma equipa destas normalmente só há duas soluções:
Bolas Paradas;
Um lance de génio (individual ou coletivo);

Aconselha-se também muito trabalho de equipa nos momentos defensivos e muita solidariedade, porque vamos ser adormecidos e vão aparecer distracções.
O Tondela será o melhor exemplo e um pesadelo permanente na cabeça dos nossos jogadores. Vai haver pressão. Espero que o mister consiga escolher os mais capazes.